DNA

Suggested Price: 10.00

Nuno Marinho: DNA

Minimum Price: 7.00

Category:

Description

Press Release

by Rui Eduardo Paes, Jazz.pt

The Best Jazz Instrumentalist of the 2010 edition of S. Luiz Jazz Festival released his 1st album, one that clearly demonstrates both the reasons that led him to win this award, and the quick and upward trend that has suffered from then on.

Nuno Marinho is a versatile guitarist with technical sophistication and great sensitivity. The influence that Pat Metheny has on his playing is obvious, and the jazz-funk-rock of his trio with Augusto Macedo (electric bass) and Diogo Leonidas (drums) have somewhat orthodox contours, revealing his own vision and strong arguments that shaped this album.

All written by Marinho, the themes are functional, leaving the focus of what is happening in improvisation. This is intense and objective, flowing with ease, ideas and purpose.

The slower, introspective songs are the strong suit of the musician born in Coimbra, now living in Lisbon: “Abandono” and “Bruised, Battered and Broken” are pieces that make us want to listen to them again and again, due to the composer’s ability to reveal sadness as a good emotion. Still, the identity of this project is revealed in tunes such as “Rock Bop” and “Playful Bites”. It is there that Nuno Marinho guitar playing excels.

Aquele que foi escolhido como o Melhor Instrumentista do concurso de escolas da edição de 2010 da Festa do Jazz no S. Luiz tem agora disco (o segundo, depois de “Letting Go… The World of Make Believe”) a circular que demonstra bem tanto os motivos que o levaram a ganhar esse prémio como a rápida e ascendente evolução que sofreu de então para cá.

Nuno Marinho é um guitarrista de mão cheia, com sofisticação técnica e uma sensibilidade especial. A influência que nele tem Pat Metheny é óbvia, e o jazz-funk-rock do seu trio com Augusto Macedo (baixo eléctrico) e Diogo Leónidas (bateria) tem contornos algo ortodoxos, mas é uma visão própria e com argumentos distintivos fortes que está plasmada neste álbum.

Todos da autoria de Marinho, os temas são funcionais, deixando o foco do que vai acontecendo na improvisação. Esta é intensa e objectiva, fluindo com desenvoltura, ideias e propósito.

Os tempos mais lentos e introspectivos são a praia deste músico de Coimbra hoje a viver em Lisboa: “Abandono” e “Bruised, Battered and Broken” são peças que apetece ouvir várias vezes seguidas, conseguindo fazer da tristeza uma emoção boa. Ainda assim, a identidade deste projecto está em faixas como  “Rock Da Bop” e “Playful Bites”. É nelas que a guitarra de Nuno Marinho se excede.

YouTube
Twitter
Facebook
Instagram